domingo, 1 de fevereiro de 2015

Peso de mochilas preocupa pais de estudantes e ortopedistas

Livros, cadernos e apostilas enchem as mochilas dos estudantes, e o peso carregado por eles, diariamente, preocupa pais e especialistas. Usar o modelo adequado de mochila, carregá-la de forma correta e eliminar itens desnecessários são algumas das alternativas que podem amenizar o problema. Há escolas que têm adotado medidas como instalar armários para o aluno guardar o material.

A Academia Americana de Pediatria considera que o ideal é que a mochila tenha entre 10% e 20% do peso corporal do estudante. Há estudos que apontam que o ideal é que o peso da mochila não exceda 10% do peso corporal. Má postura, dores e problemas de locomoção são alguns dos problemas que o excesso de peso pode causar, de acordo com a cartilha feita em parceria pela Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT) e o Proteste.

Ao escolher uma mochila, é importante que ela não pese mais que meio quilo quando vazia. O ideal é que seja de duas tiras, pois as de uma tira não distribui o peso uniformemente nos ombros. O estudante deve tensionar as tiras para que a mochila fique bem junto ao corpo e aproximadamente cinco centímetros acima da linha da cintura.

As alças devem ser acolchoadas, reguláveis e com largura mínima de quatro centímetros na altura dos ombros. Tiras estreitas podem causar compressão nos ombros e restringir a circulação. É interessante também concentrar os objetos mais pesados no centro da mochila e mais próximos das costas.

Em Brasília, o Colégio Marista desenvolveu durante três anos um projeto com vídeos e orientação dos professores para estimular o uso dos armários, locados pela escola, e da mochila de rodinhas, e fez a Blitz da Mochila. Na blitz, os professores conferiam na chegada dos estudantes quem estava com um modelo adequado e carregava o material de forma correta. Houve também balanças para pesar a mochila. Quem estava com tudo certo ganhava um adesivo atestando aprovação.

A partir do sexto e sétimo anos, os estudantes começam a achar que utilizar a mochila de rodinha é “mico”, então, compram a mochila de alça, que pesa de sete a oito quilos com o material, e usam pendurada em um ombro só. Não tem como reduzir os livros, então compete às escolas um bom trabalho de conscientização com os meninos.

Compete também aos pais verificar, periodicamente, o material dos filhos para conferir se não estão carregando objetos desnecessários. Muitos estudantes carregam joguinhos, revistas, gibis e aumentam o peso. Se eles levarem para a escola apenas o necessário, certamente haverá redução do peso.

Também é preciso ter cuidado com o uso da mochila de rodinhas. A alça do carrinho deve estar a uma altura apropriada às costas retas ao puxá-la. A cartilha do Proteste e SBOT alerta que para que essa seja uma opção melhor, as escolas devem adotar rampas e elevadores para evitar que as crianças tenham que levantar a mochila nas escadas.

As discussões em torno do excesso de peso das mochilas de crianças e adolescentes resultaram em projeto de lei que tramita no Congresso Nacional, segundo o qual as mochilas devem ter, no máximo, 15% do peso do estudante.

São Paulo registra em 2015 o segundo mês de janeiro mais quente da História

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia, a média das temperaturas foi de 31,5°C ficando atrás apenas dos 31,9°C registrados em 2014. A média das temperaturas do mês nos 72 anos de medições é de 28°C.

Termômetro marca 38ºC na região do largo da Batata, em Pinheiros, na zona oeste de São Paulo.

Comunicado da CPCON – Comissão Permanente de Concurso da Universidade Estadual da Paraíba

A CPCON – Comissão Permanente de Concurso da Universidade Estadual da Paraíba, comunica que realizará neste dia 31.01.2015, sábado às 10:00 da manhã na Quadra de Esportes da Escola Estadual Aristófanes Fernandes, reunião com a equipe de fiscais do Concurso Público da Prefeitura de São Vicente/RN, onde se fará necessária de forma obrigatória a presença da referida equipe.
Atenciosamente,

Ana Alice Rodrigues
Presidente

Representantes de entidades, autoridades, participação popular e a presidente da Câmara Iracema Pereira, marcaram a audiência sobre abastecimento de água

Na manhã de sexta – feira às 9h, aconteceu na Câmara Municipal de São Vicente, a audiência pública para discutir o abastecimento de água do município com o seguinte tema: Situação Hídrica do Município de São Vicente RN “Gargalos e Soluções”.
A audiência foi conduzida pela presidente da casa, Vereadora Iracema Pareira, e contou com a presença de representantes de entidades como Márcio José técnico da EMATER, Clovis chefe da CAERN local, secretários, vice prefeito Andreazza Fernandes e muitos populares que abraçaram a causa no debate do assunto.
A presidente Iracema Pereira levará o relatório discutido na audiência para entregar ao governador, dia 10 de Fevereiro em uma audiência denominada “Grito pela Seca”com as câmaras de todo seridó, para debater os relatórios feitos no objetivo de conhecer a realidade de cada município.

São Vicente ganha o primeiro informativo impresso!

 
O informativo “O Destaque”, iniciará sua circulação nessa primeira semana de Fevereiro.

Um informativo bem elaborado com notícias variadas e que mostra a cidade de São Vicente.


Desenvolvido com um alto padrão de diagramação e um design moderno, terá distribuição gratuita e iniciará com mil exemplares, atendendo uma totalidade de 100% do público.


São matérias com responsabilidade e com assinatura de profissionais de renome, na área da comunicação.
O informativo será o primeiro impresso com notícias da cidade de São Vicente e grandes parceiros publicitários de visão, que se destacam no comércio local.

A partir de domingo (01) começa a valer alta nos tributos dos combustíveis e pode superar R$ 3,30

O governo federal publicou nesta quinta-feira (29) o decreto com o aumento de tributos sobre combustíveis anunciado na semana passada.

Conforme informado na segunda-feira (19) pelo Ministério da Fazenda, a cobrança será de R$ 0,22 a mais por litro de gasolina e de R$ 0,15 no diesel a partir de 1º de fevereiro.

Entre o início de fevereiro e final de abril, toda essa tributação a mais se dará por meio do aumento no PIS/Cofins nos dois combustíveis.

Depois de 90 dias, a partir de maio, o aumento será dividido entre R$ 0,12 a mais de PIS/Cofins e R$ 0,10 de Cide por litro de gasolina. No diesel, ficará divido entre R$ 0,10 do primeiro e R$ 0,05 a mais do segundo tributo.

O valor final de revenda nos postos de combustíveis no Rio Grande Norte pode superar R$ 3,30.

Se ligue na Líder FM 87.9 São Vicente